terça-feira, 12 de junho de 2012

Mas o que é o Judô?

Nas palavras do Sensei Jigoro Kano, “o Judô não é o que muitas pessoas acreditam que ele seja; isto é, o judô é mais do que uma arte de luta praticada no dojo. O significado básico do Judô é muito diferente; é universal e profundo”.
Muitas pessoas atribuem ao Sensei Kano a criação do Judô, porém, ele mesmo não gostava dessa atribuição, pois ele não criou algo novo, de fato. A parte técnica do Judô nada mais é do que uma compilação do que o que Jigoro Kano encontrou de melhor nos Jujutsos antigos e em artes como o boxe, o wrestling, o Karatê, etc.
Porém, a parte técnica é apenas o Jujutso. Para ser Judô, é preciso acrescentar a idéia do Seiryoku Zenyo – o melhor uso da energia em busca da eficiência máxima. Segundo Jigoro Kano, qualquer arte marcial que aplicasse o princípio básico do Seiryoku Zenyo se tornaria Judô. Jigoro Kano reconhece que o treinamento das técnicas do Judô não é o único meio para se atingir este princípio universal (Seiryoku Zenyo), entretanto, foi através do treinamento técnico que ele conseguiu compreender a existência deste princípio e é através do Judô que ele procurou divulgar para o mundo.
Sensei Jigoro Kano aplicando a técnica conhecida como "Waki Gatame"
Sensei Jigoro Kano aplicando a técnica conhecida como "Waki Gatame"
Para Jigoro Kano, quanto o princípio da máxima eficiência é utilizado na arte do ataque e defesa e também usado para aperfeiçoar nosso dia-a-dia, isso exige que haja harmonia, auxílio e compreensão entre as pessoas, tendo como resultado o bem-estar e o benefício mútuo, que conhecido como o conceito de jita kyoei, um dos principais valores do Judô.
A palavra Judô é formada por dois ideogramas chineses, sendo que “ju” significa “gentilmente” ou “cedendo passagem” e “do” significa “princípio” ou “caminho”. Portanto, Judô é mais do que uma “arte suave” ou “arte da gentileza” – que em japonês é traduzido por jujutso, ou jiu-jitsu (“jutsu” significa “arte”, ou “técnica”) – mas sim, é o caminho da gentileza, ou seja, é o cultivo do corpo e espirito para ser aplicado no cotidiano, no dia-a-dia, em todas as áreas de atuação e conhecimento, e que por isso, não deve ser praticado apenas no dojo, mas também em casa, no trabalho, no trânsito, no relacionamento familiar e social, enfim, onde for possível.
Nas palavras do Sensei Jigoro Kano:
“Em resumo, o Judô é uma disciplina física e mental, e suas lições podem ser aplicadas na nossa vida diária. O princípio fundamental do judô, que governa todas as técnicas de ataque e de defesa, é que, qualquer que seja o objetivo, ele é mais facilmente alcançado através do uso, com máxima eficiência, da mente e do corpo. O mesmo princípio aplicado em nossas atividades cotidianas leva a uma vida melhor e mais racional”

Nenhum comentário:

Postar um comentário