domingo, 13 de janeiro de 2013

Novas regras para 2013


 
No ano de 2009, o judô competitivo sofreu alterações nas regras que deixaram muitos praticantes chateados. Durantes as competições até as Olimpíadas de Londres 2012, muitos atletas ainda estavam sendo eliminados das competições por conta das mudanças nas regras no que diz respeito à catadas de perna. Pois bem, a Federação Internacional de Judô (FIJ) anunciou novas regras para o período de 2013.

Estas novas regras serão aplicadas à partir do Grand Slam de Paris, até o Mundial do Rio. Após este período, a FIJ irá avaliar o desempenho durante as competições que ocorrerão em 2013 e irá decidir se as novas regras serão definitivas ou não.

1. Punições com Hansoku-make – Qualquer ataque ou defesa com uma ou duas mãos/braços realizados abaixo da linha da faixa, durante o tachi-waza.

Ou seja: estão eliminados qualquer tipo de golpe de catada de perna. Antes, ainda haviam três possibilidades para a utilização de técnicas de catada de perna. Agora, as catadas foram excluídas por completo. Eis a explicação desta mudança, segundo a FIJ:

“O objetivo do judô, como já foi apontado, é simples: marcar o ippon. Para isso, existem muitas possibilidades, o que torna o judô um esporte espetacular, mas ainda assim, uma atividade técnica. Uma maior clareza é necessária para o tornar mais compreensível para o judoka em si, para torná-lo mais fácil de avaliar, mas também fazê-lo mais acessível ao público. As catadas de perna diretas foram banidas das competições de judô nos últimos anos. Os efeitos são evidentes: algumas técnicas desapareceram em benefício do reaparecimento de movimentos espectaculares que não podiam ser executados devido à posição dos combatentes. A excepção feita para agarrar perna diretamente, no caso da pegada cruzada, fez a arbitragem ainda mais complicada, apesar da intervenção do vídeo. Por conta disso, qualquer ataque ou bloqueio abaixo da cintura, durante o trabalho em pé, vai agora ser sancionado pelo Hansoku-make, sem exceção.”

Penalizações por Shido:

Quebrar a pegada usando as duas mãos;
Pegada cruzada, pegada na faixa e pegada no mesmo lado devem ser seguidas imediatamente de ataques. Caso contrário, o atleta será punido com shido;
Abraçar o oponente para projetar uma técnica (abraço de urso);
Atletas que não entrarem rapidamente no kumikata ou fugirem da pegada do oponente serão punidos com shido;
A explicação da FIJ para estas punições:

“A disputa de pegada (Kumikata) é parte da competição de judô. Buscando a melhor pegada para executar técnicas bonitas é algo lógico e necessário. Mas, para evitar que o oponente faça sua pegada, se não houver nenhum ataque imediato, não é construtivo. Recentemente, verificou-se que o processo de bloqueio do adversário tornou-se predominante em muitas lutas, levando a longos e chatos combates. Assim, as decisões foram tomadas para corrigir este objetivo. O objetivo não é impedir o trabalho de kumikata, mas torná-lo mais ativo e construtivo.”

2. Ippon

A FIJ quer considerar como ippon apenas os golpes realmente caracterizados como golpes que poderiam, por exemplo, nocautear o atleta se não fosse no tatame. Ou seja, que os juízes sejam mais rigorosos na hora de marcar um ippon. Além disso, cair em “posição de ponte” será considerado como ippon.

3. Penalidades

Nas novas regras, o primeiro shido por falta de combatividade será considerado punição. E se um atleta for punido pela quarta vez, será desclassificado (hansoku-make). A diferença principal será que o shido não dará mais pontuação. As pontuações só serão dadas através de aplicação de golpes. Se uma luta terminar empatada, o lutador com mais shidos perderá.

Penalizações por Shido:

Quebrar a pegada usando as duas mãos;
Pegada cruzada, pegada na faixa e pegada no mesmo lado devem ser seguidas imediatamente de ataques. Caso contrário, o atleta será punido com shido;
Abraçar o oponente para projetar uma técnica (abraço de urso);
Atletas que não entrarem rapidamente no kumikata ou fugirem da pegada do oponente serão punidos com shido;
A explicação da FIJ para estas punições:

“A disputa de pegada (Kumikata) é parte da competição de judô. Buscando a melhor pegada para executar técnicas bonitas é algo lógico e necessário. Mas, para evitar que o oponente faça sua pegada, se não houver nenhum ataque imediato, não é construtivo. Recentemente, verificou-se que o processo de bloqueio do adversário tornou-se predominante em muitas lutas, levando a longos e chatos combates. Assim, as decisões foram tomadas para corrigir este objetivo. O objetivo não é impedir o trabalho de kumikata, mas torná-lo mais ativo e construtivo.”

4. Golden Score

Durante o Golden Score, o primeiro que aplicar um golpe válido vence a luta, ou quem receber o primeiro shido perde a luta. O mais significativo é que não haverá mais decisão dos juízes via bandeira, pois não haverá mais limite de tempo durante o Golden Score. A luta tem que ser vencida ou pela aplicação de golpe válido ou até que um dos atletas seja punido.

5. Imobilizações (osaekomi-waza)

Se a técnica de imobilização começar sendo aplicada na área de luta mas for movida para fora, a técnica continuará sendo válida. A pontuação e tempo do osaekomi também mudou. Nas novas regras, com 10 segundos de imobilização o atleta ganha um yuko, 15 segundos um wazari e 20 segundos ippon.

Atletas não podem cumprimentar-se apertando as mãos

Antes de entrar especificamente no lado negativo das regras, uma alteração irá causar bastante polêmica. As novas regras proibem os atletas de apertarem a mão antes da luta. A explicação para esta proibição é a seguinte:

“O Judô é um esporte cujos valores são mundialmente conhecidos e reconhecidos. No judô, há uma ‘cerimônia’, que é aceita por todos e que é parte do DNA do nosso esporte. Deve ser respeitada. É o símbolo do nosso código moral e adverte contra qualquer desvio. Os combatentes serão convidados a realmente respeitar o procedimento de cumprimento como foi definido desde a invenção do judô. No início do combate, não será permitida a utilização de outros sinais de cumprimento além do cumprimento tradicional. No final da luta, após o cumprimento, os combatentes estão autorizados a apertar a mão e felicitar-se com respeito.” (FIJ)

(Por Edson Sakomura)

Nenhum comentário:

Postar um comentário